Leituras Obrigatórias UFRGS 2020

Leituras Obrigatórias UFRGS 2020

29 mar 19

Publicado por
FÊNIX

Leituras Obrigatórias UFRGS 2020

A tão esperada lista de leituras obrigatórias para o vestibular da UFRGS 2020 já foi divulgada. São quatro novidades em relação à última edição – Bagagem, de Adélia Prado, São Bernardo, de Graciliano Ramos, As Meninas, de Lygia Fagundes Telles e Feliz Ano Velho, de Marcelo Rubens Paiva –, totalizando 12 obras para leitura prévia dos candidatos. As obras misturam poema, poesia, conto, romance, drama, ficção e biografia, permitindo aos estudantes um amplo conhecimento sobre os três gêneros literários existentes: lírico, épico/narrativo e dramático.

Confira a lista completa e saiba os principais assuntos abordados em cada obra.

 

1. Adélia Prado — Bagagem

 

Estreando no vestibular da UFRGS, o livro de poesias da escritora cearense é dividido em quatro grandes seções: poesia, amor, memória e alfândega. Apesar das temáticas distintas, seus textos possuem unidade, pois todos destacam o universo feminino, o papel da mulher em meio à sociedade machista e, ainda, questões ligadas à religiosidade. Suas poesias apresentam caráter feminista em textos que lutam pela igualdade de gênero.

 

2. Carolina Maria de Jesus — Quarto de despejo: diário de uma favelada

 

Com linguagem simples e objetiva, o livro reproduz o diário original de Carolina Maria de Jesus e retrata a realidade vivida pela autora na favela do Canindé, em São Paulo, em seu trabalho como catadora de papel. Dor, sofrimento, fome e angústia são alguns dos relatos realistas e comoventes da obra de escrita coloquial e, ao mesmo tempo, refinada.

 

3. Elis & Tom — Álbum/Disco de 1974

 

Desde 2017 na lista de leituras obrigatórias para o vestibular da UFRGS, o disco Elis & Tom, clássico da música popular brasileira, permanece nas exigências da prova para a edição de 2020, mostrando que textos literários não precisam, necessariamente, estar escritos em livros. O estudo do álbum tem como objetivo ampliar os olhares de jovens por diferentes formas de conhecimento.

 

4. Florbela Espanca — Seleção de Poemas

 

Pioneira na escrita feminista em Portugal, a poetisa Florbela Espanca, conhecida por contos e sonetos que marcaram a literatura feminina, faz parte da lista de leituras obrigatórias para o vestibular da UFRGS, com 22 poemas escolhidos para o exame. São eles: Fanatismo; Horas rubras; Eu; Vaidade; Lágrimas ocultas; A minha dor; Suavidade; Se tu viesses ver-me; Ser poeta; Fumo; Frêmito do meu corpo; Realidade; Súplica; Doce certeza; Quem sabe?!…; A Mulher I; A Mulher II; Amiga; Ódio; Amar!; O maior bem; Neurastenia.

 

5. Graciliano Ramos — São Bernardo

 

Ausente na lista obrigatória desde 2004, com a obra Vidas Secas, Graciliano Ramos volta, este ano, com um livro diferente. O romance São Bernardo conta a história de vida do protagonista Paulo Honório, um fazendeiro autoritário e agressivo do interior do nordeste brasileiro.

 

6. Lygia Fagundes Telles — As Meninas

 

Fora da lista desde 2010, um novo livro da escritora paulista volta para a UFRGS 2020. O romance As Meninas, publicado em 1973, época de ditadura militar, foi responsável por encorajar mulheres a lutarem em defesa da liberdade no período e, hoje, é tema do vestibular. A história fala da vida de Lorena, Lião e Ana Clara, três personagens principais que fazem jus ao título da obra, revelando seus desequilíbrios e perversões, sem cair na vulgaridade.

 

7. Machado de Assis — Papéis avulsos

 

Desde o título até o discurso interno da obra, Machado de Assis utilizou da ironia na escrita para tratar de temas contraditórios como ser e parecer e vida pública e vida íntima, por exemplo. O livro Papéis Avulsos marcou, junto com a obra Memórias póstumas de Brás Cubas, de 1881, a nova fase realista adotada pelo autor e, com isso, a obra analisada passou a ser, também, referência para seus próximos livros.

 

8. Marcelo Rubens Paiva — Feliz Ano Velho

 

Estreante na lista de leituras da UFRGS, o romance autobiográfico de Marcelo Rubens Paiva relata o acidente que o deixou tetraplégico dias antes do Natal de 1979. Com linguagem coloquial, a obra revela a experiência e as dificuldades enfrentadas pelo autor diante da situação. Apesar do assunto trágico, a escrita conta com momentos de humor e até mesmo erotismo ao decorrer da leitura.

 

9. Maria Firmina dos Reis — Úrsula

 

Não só o primeiro romance publicado por uma mulher negra na língua portuguesa, Úrsula foi também o primeiro livro de crítica à escravidão por meio da humanização de personagens negros e escravizados. O corajoso discurso da autora marcou a história da literatura e as obras de Firmina passaram a ser referência para temas relacionados a mulheres, negros e suas condições.

 

10.  Michel Laub — Diário da queda

 

Escrito pelo autor e jornalista gaúcho Michel Laub, o livro Diário da queda, do ano de 2011, é o mais atual da lista de leituras obrigatórias da UFRGS. A obra reflete sobre três gerações contadas a partir de lembranças de um homem em decisivos momentos da vida adulta. Trata-se de uma curiosa reflexão sobre identidade, afeto e perda.

 

11. Valter Hugo Mãe — A máquina de fazer espanhóis

 

Narrada por um idoso de Portugal, a história da obra conta a vida de António Jorge da Silva, um barbeiro de 84 anos que, após perder a mulher, passa a viver sozinho em um asilo. A nova fase o obriga a encarar a vida de outra maneira, evidenciando sua perspectiva sobre o mundo tanto em relação ao seu novo lar quanto em relação à fase política vivida por ele no país.

 

12. William Shakespeare — Hamlet

 

A tragédia de Shakespeare mais adaptada e encenada em palcos de todo o mundo não poderia ficar de fora das leituras obrigatórias para o vestibular da UFRGS, não é mesmo? A obra dramática Hamlet explora temas como traição, vingança, sátira e corrupção ao decorrer da história do jovem príncipe da Dinamarca, o Príncipe Hamlet.

 

via GIPHY

 

Na UFRGS são, em média, 17 questões dedicadas às leituras escolhidas como obrigatórias para a edição. Além do vestibular, o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) também exige o estudo de obras clássicas de diferentes períodos da história do Brasil, mesmo que não exija uma lista específica de livros em seu edital. Portanto, o entendimento das leituras obrigatórias para a federal do Rio Grande do Sul é de extrema importância também para a realização de outros importantes e concorridos exames que compõem a fase preparatória.

 

Vestibular Antecipado

 

Conforme divulgado pela UFRGS no calendário acadêmico do ano de 2019, a aplicação das provas do vestibular ocorrerá em dois finais de semana dos meses de novembro e dezembro, ainda neste ano e não mais no início do ano seguinte, como era anteriormente. A antecipação faz parte de uma série de mudanças com o intuito de otimizar as matrículas, bem como o processo de ocupação das vagas. Assim, a universidade passa a ter mais tempo para analisar documentos e organizar o registro de alunos. As provas serão realizadas nos dias 23 e 24 de novembro e 1º de dezembro.

Informações sobre a inscrição para o vestibular da UFRGS e o edital das provas serão divulgados posteriormente, no site da universidade: www.ufrgs.br/vestibular. Fique ligado e aguarde novas notícias sobre a edição de 2020.

 

Compartilhe
a publicação
nas suas redes

Deixe aqui
o seu
comentário